13/08/2022

Clique aqui para ler a coluna Responsabilidade Social e Ética, o artigo Vestir azul, por Lucila Cano.

 



Octavio Frias de Oliveira
Octavio Frias de Oliveira é o ganhador do Prêmio Personalidade da Comunicação 2006. Publisher e principal acionista do Grupo Folha, que inclui os jornais Folha de S.Paulo, Agora São Paulo e Valor Econômico (este em sociedade com as Organizações Globo), e o portal UOL, Octavio Frias de Oliveira é hoje um dos mais conceituados dirigentes brasileiros do segmento de mídia, sendo o principal fiador e incentivador do Projeto Folha, que levou a Folha de S.Paulo a se transformar há mais de duas décadas no maior e mais importante jornal do País. Homem de visão, também apoiou os filhos Otávio Frias Filho e Luís Frias na construção do portal UOL, líder desde que foi lançado há mais de uma década e incontestavelmente o maior do País.
Um pouco de sua história
O empresário Octavio Frias de Oliveira nasceu no Rio de Janeiro, bairro de Copacabana, em 5 de agosto de 1912, o penúltimo dos nove filhos do casal Luiz Torres de Oliveira e Elvira Frias de Oliveira. Na época, seu pai era juiz de Direito em Queluz, no Interior paulista. Pertencia, porém, a uma família com raízes tradicionais no Rio de Janeiro. O bisavô do recém-nascido fora o Barão de Itambi, político influente no Segundo Reinado. Seu avô, Luiz Plinio d'Oliveira, construiu os Arcos da Lapa, adutora que trazia água de Santa Tereza para o centro da Capital.
Frias começou a trabalhar logo cedo, premido por sérias dificuldades financeiras que a família enfrentava. Trabalhou como office-boy, foi mecanógrafo, atuou no serviço público, na Secretaria da Fazenda do Governo de São Paulo, combateu na Revolução Constitucionalista pelas tropas paulistas e já na década de 40 passou a se dedicar à atividade empresarial, contrariamente aos conselhos do pai, que prezava a estabilidade do serviço público.
Data de 1953 a primeira empresa por ele fundada, Transaco, que atuava na venda de ações diretamente ao público. Pouco antes, foi acionista de banco (o Banco Nacional Imobiliário) e também aliado de Oscar Niemeyer, de quem se tornou amigo, em alguns projetos imobiliários, entre eles o tradicional Edifício Copan. Data deste período, aliás, sua primeira ligação com a imprensa: a Transaco prestou serviços profissionais à Tribuna da Imprensa, o jornal carioca de Carlos Lacerda, e à Folha da Manhã, então dirigida pelo advogado José Nabantino Ramos, um dos pioneiros na introdução da psicanálise em São Paulo.
Já aos 50 anos de idade, adquiriu, em 13 de agosto de 1962, o controle acionário da Folha de S.Paulo, associado ao empresário Carlos Caldeira Filho. Desde então, vem fazendo história na imprensa brasileira. De um jornal quase sem personalidade e que às vésperas do golpe de 1964 apoiou abertamente a derrubada do presidente João Goulart, transformou a Folha num veículo independente, plural e isento, bandeiras as quais o jornal nunca mais abandonaria.
Ao superar seus concorrentes diretos, a partir da ampla reforma produzida pelo Projeto Folha, nos anos 80, nunca mais perderia a liderança, mantendo-se, desde então, como uma das mais críticas e respeitadas publicações do País.
Homem de hábitos simples, quase espartanos, Frias é obcecado pelo trabalho. Empresário de sucesso, seus traços mais marcantes são a inteligência prática e intuitiva, o tino comercial, a informalidade no trato, a curiosidade pelos empreendimentos produtivos, seu interesse por tudo o que for novo. Agnóstico em religião, liberal em política e economia, praticante de esportes (até recentemente ainda montava a cavalo), sua vitalidade extraordinária continua sendo fonte de ânimo e inspiração para quem trabalha ou convive com ele. Sua maior contribuição terá sido estabelecer, para a imprensa brasileira, um patamar inédito em termos de independência frente ao poder político e econômico, de profissionalismo nos negócios da comunicação e de pluralidade e espírito público no jornalismo.
Por essa trajetória, Octavio Frias de Oliveira foi escolhido Personalidade da Comunicação 2006.

Busca