13/08/2022

Clique aqui para ler a coluna Responsabilidade Social e Ética, o artigo Vestir azul, por Lucila Cano.

 



Nelson Sirotsky de Oliveira
Octavio O ano é o de 1957. O Brasil vive o apogeu do governo progressista de Juscelino Kubitschek; do projeto “50 anos em 5”; do ambicioso Plano de Metas; da implementação da poderosa indústria automobilística brasileira; e da construção de Brasília.
Pelos quatro cantos do País, o empreendedorismo, o entusiasmo e a motivação para construir um Brasil novo e moderno, ganha força e impulsiona a sociedade. É também no ano de 1957 que um sobrenome nascido no Sul, começa a fazer história na Comunicação brasileira, e registrar e influir na história deste País.
Na capital Porto Alegre, Maurício Sirotsky Sobrinho associa-se à Rádio Gaúcha e lança o seu Programa Maurício Sobrinho, que marcou as manhãs de domingo, integrando e divertindo a família riograndense. Maurício dava, assim, os primeiros passos, abrindo os caminhos da Comunicação para a Família Sirotsky e iniciando um importante processo de integração do Sul do País, pela informação. Em 1962, ao lado do irmão Jayme, inaugura a TV Gaúcha, e cinco anos depois, já como filiada à Rede Globo, inicia as atividades da TV Caxias, criando a primeira Rede Regional de Televisão, do País.
A estrutura de Comunicação da RBS se fortifica em 1970, com a aquisição do Jornal Zero Hora, até hoje considerado um dos mais importantes jornais brasileiros. Aquela década representa um marco para o sentido empreendedor dos Sirotsky que ampliam sua rede de rádio e inauguram mais uma emissora de televisão: a TV Catarinense, consolidando a marca do grupo.
É também nesse período, mais precisamente em 1971, que Nelson Sirotsky, inspirado pelo pai Maurício e pelo tio Jayme, inicia sua carreira dentro da RBS, até chegar à presidência do Grupo, em 1991. Em cada etapa vencida, em cada nova empreitada, Nelson estava, efetivamente, presente e atuante, buscando com o seu espírito jovem e empreendedor, investir em novas plataformas de mídia, e em novas frentes de negócio. Ao longo de sua carreira revelou-se um executivo de sucesso e de visão. Ocupou posições de importância estratégica para a Comunicação brasileira, como presidente da ANJ (Associação Nacional de Jornais) e da ABERT (Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão), e como membro do Conselho Brasil do Insead (The European Institute of Business Administration).
Sua marca de dinamismo e inovação está patente no Grupo RBS, que chega em 2007, aos 50 anos de atividade. Sob o comando de Nelson Sirotsky, a RBS se revela uma empresa de comunicação multimídia, que reúne perto de seis mil colaboradores, com unidades no Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Minas e Mato Grosso do Sul.
Hoje, o sonho da família Sirotsky está concretizado em 18 emissoras de TV aberta; duas emissoras de TV comunitária; uma emissora segmentada com foco no agronegócio; 25 emissoras de rádio; oito jornais diários; e quatro portais na Internet.
Foi também pelas mãos de Nelson Sirotsky, que o Grupo RBS se ampliou e diversificou suas atividades, e hoje conta, também, com editora; gráfica; gravadora; empresa de logística; empresas de marketing de relacionamento e móbile marketing, além da uma fundação de Responsabilidade Social.
É pelo seu trabalho e competência à frente do Grupo RBS, e das entidades de Comunicação que presidiu, que a Mega Brasil e os profissionais da Comunicação concedem a Nelson Sirotsky o Prêmio Personalidade da Comunicação 2009.

Busca