13/08/2022

Clique aqui para ler a coluna Responsabilidade Social e Ética, o artigo Vestir azul, por Lucila Cano.

 


Miguel Jorge
Ele é um dos mais respeitados e bem sucedidos profissionais de Comunicação do País. Dirigiu por dez anos a redação do jornal O Estado de S. Paulo, esteve à frente da Comunicação da Autolatina e da Volkswagen do Brasil por quase 14 anos, ocupando o cargo de Vice-Presidente de Assuntos Corporativos e Recursos Humanos, e em janeiro de 2001, aos 56 anos de idade, decidiu aceitar o fascinante e gigantesco desafio de comandar a Comunicação Social e Corporativa dos bancos Banespa e Santander. Uma reviravolta em sua vida e uma surpresa para o mercado. Mas não foi apenas essa brilhante carreira que o credenciou a receber dos profissionais de Comunicação o título de Personalidade da Comunicação do Ano 2001. Mais do que um expoente da área, Miguel Jorge tem sido um grande defensor da causa da Comunicação, um desbravador de mercado. Seus artigos, publicados em jornais e revistas de todo o Brasil, mais do que um testemunho são provocações estimulantes àqueles que defendem uma Comunicação Cidadã, Ética e Transparente em todas as atividades econômicas e sociais. No campo cultural também tem sido significativa sua contribuição, seja no campo das idéias ou na viabilização econômica de projetos, nos mais diferentes campos artísticos e editoriais.
Miguel tem ainda em sua biografia um outro título que para muitos pouco pode representar, mas que tem uma importância estratégica para o segmento: como presidente da Aberje, no período de 1990 a 1992, ele trouxe para a entidade uma nova filosofia e um novo status, dando início a um novo ciclo de desenvolvimento e aprimoramento da Comunicação Corporativa no Brasil.
Mineiro de Ponte Nova, Miguel Jorge ao longo desses anos integrou diretorias e conselhos de algumas das mais influentes instituições brasileiras, como Fiesp/Ciesp e Anfavea. Também foi professor de Jornalismo Informativo na Faculdade de Comunicações da Universidade Paulista. É atualmente membro do Conselho Editorial dos jornais O Estado de S. Paulo e Meio e Mensagem, do qual é também articulista.
Recentemente, Miguel Jorge foi agraciado com três comendas do Governo brasileiro: Medalha Visconde do Cairu, do Ministério da Indústria e do Comércio; Medalha do Pacificador, outorgada pelo Ministério do Exército; e Medalha do Mérito da Cultura, do Ministério da Cultura.
Por sua trajetória pessoal e profissional, pelas realizações concretizadas ao longo da carreira, pela permanente defesa da causa da Comunicação nos diferentes fóruns aos quais tem acesso e pela dignificação da atividade profissional é que em nome da comunidade da Comunicação a Mega Brasil confere o Prêmio Personalidade da Comunicação do Ano 2001 a Miguel Jorge.
Busca