:: Reporter JCC

Doçaria pernambucana no Congresso
Adriana Teixeira
25/5/2017 14:40:00
Na foto, as versões tradicional, de goiaba, e de limão.

O 20º Congresso Mega Brasil de Comunicação, Inovação e Estratégias Corporativas teve um participante de doçura quase insuperável: o bolo de rolo. Patrimônio imaterial de Pernambuco desde 2008, a iguaria aterrissou no evento diretamente da Casa dos Frios, no Recife, pelas mãos de Ana Lima, diretora da Brava Comunicação. Vinte quilos do quitute acompanharam o café dos 300 participantes, entre palestrantes e ouvintes, do encontro que colocou em pauta o diálogo da empresa com seus diversos públicos em um contexto de plena transformação.

Colchão de noiva

Conta a história da culinária brasileira que o bolo de rolo foi inspirado no doce português colchão de noiva, um tipo de pão de ló enrolado com recheio de nozes. Na época da colonização, os portugueses substituíram o recheio pela goiaba, fruta abundante na Zona da Mata e preparada com muito açúcar nos engenhos da região. A massa segue a receita original, com farinha de trigo, ovos, manteiga e açúcar. Mas o bolo de rolo, como conhecemos hoje, teria passado por transformações ao longo do tempo: a massa ficou ainda mais fina e delicada. E não cometa a gafe de dizer, perto de um pernambucano, que o bolo de rolo é um rocambole! As diferenças estão na quantidade dos ingredientes – a massa inspirada na doçaria portuguesa, por exemplo, recebe 25% de manteiga, e o rocambole, 10%. No doce inspirado na culinária portuguesa são necessárias quatro lâminas finas de massa; no rocambole basta uma. 



Voltar



Siga Mega Brasil


Copyright Mega Brasil Comunicação - Todos os direitos reservados